Metodologias para Gênero é tema de encontro da Plataforma Educação Marco Zero

Projeto Contexto/ abril 15, 2019/ Sem categoria/ 0 comments

Revisar as metodologias em curso e pensar em coletivo para buscar outras alternativas de debate sobre gênero. Esses foram alguns dos objetivos do 1° Diálogos Metodológicos sobre Gênero que aconteceu nos dias 03, 04 e 05 no auditório da Cáritas Diocesana de Crateús. Cerca de 40 representantes da Plataforma Educação Marco Zero estiveram presentes na ocasião, apresentando seus desafios e atualizando seus conhecimentos acerca da temática da equidade de direitos entre mulheres e homens.

O momento começou com uma rodada de apresentação em dupla e, posteriormente, cada um apresentou sua organização e seu compromisso dentro do Projeto Contexto. Dificuldades em atividades com grupo misto, mediação em situações de conflito, ou a melhor abordagem para mulheres de grupos diversos (religiosas, jovens, do campo) foram algumas das principais dificuldades apontadas pela equipe.

No segundo dia, Anna Avidano iniciou sua fala apresentando seu histórico de formação, resgatando sua experiência de trabalho em gênero no México e Guatemala, esse último especificamente com as mulheres Maias e Ixiles. Segundo ela, é o movimento de mulheres que apresenta projetos alternativos ao modelo de exploração, opressões e violência, e acredita na importância de incluir os homens nesse processo de desconstrução, pois, apesar de agentes, eles também são resultados e sofrem (à sua medida) com a estrutura machista. “É fundamental buscar formas e caminhos estratégicos quando estamos diante de limitações com grupos. Na Região de Ixil, na Guatemala, o movimento de mulheres começou pela autonomia financeira, por exemplo. As Igrejas não-pentecostais chegaram no território e foi preciso estabelecer um diálogo com os pastores num processo de sensibilização para pautas importantes das mulheres”, contou. Em seguida, foram feitas perguntas e partilhas sobre a realidade do trabalho no Sertão.

A partir do que foi trazido para a roda, a facilitadora indicou alguns pontos de mudança e/ou de proposta para melhorias no debate de gênero, a exemplo: adequar alguns termos; fazer uma abordagem por etapas; construir novas cumplicidades, dentre outros. No período da tarde, Anna convidou a todos para uma dinâmica onde cada um resumiu em uma palavra, escrita em papel, as necessidades de mudança na metodologia de trabalho em curso, tanto para com os grupos quanto entre a própria equipe. Após todos construírem uma espécie de painel, foram montados seis grupos que durante 1 (uma) hora se concentraram na criação de metodologias para trabalho de equipe e trabalho para campo. Cada um deles apresentou para os demais suas propostas e saíram com encaminhamentos de preparação para o próximo semestre do Projeto Contexto.
A manhã do dia 05 foi reservada para informes gerais das organizações e reorganização do cronograma para a efetivação dos GTM’s.

Share this Post

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*